Simers participa de audiência no TRT da 4ª Região e vai levar proposta da prefeitura de Canoas aos médicos
03/02/2022 10:17 em DEFESA

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) participou da audiência realizada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, na tarde desta segunda-feira, 31, que reuniu as entidades ligadas aos profissionais da saúde que atuam no município de Canoas. Na mediação, o prefeito Jairo Jorge apresentou um cronograma para o pagamento das rescisões contratuais, com o término das quitações previsto para junho de 2024, totalizando uma dívida de R$ 44,3 milhões.

A diretora do Simers, Luciana Mesko, participou da agenda e afirma que o material apresentado pela prefeitura será encaminhado para análise do departamento jurídico do sindicato. “Em seguida, agendaremos uma nova assembleia geral, para que os médicos possam deliberar sobre a proposta, sem prejuízos financeiros ou trabalhistas”, reforça a médica.

Essa é a segunda mediação on-line, feita pelo juiz Rodrigo Trindade, que ouviu os esclarecimentos do gestor do município com o segundo maior orçamento do Estado. Ele também abriu espaço para as dúvidas dos sindicatos, que representam 3.267 trabalhadores, dos quais fazem parte mais de 500 médicos. 

A próxima audiência de mediação no TRT da 4ª Região está marcada para o dia 7 de fevereiro, para que os sindicatos possam apresentar o que foi definido pelas suas categorias.

Entenda o caso

Desde o início ano, quando foi feito o anúncio sobre o término do contrato da Prefeitura de Canoas com o Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde (GAMP), marcado para 29 de janeiro, o Simers vem atuando de forma intensa em meio ao processo de transição entre as novas empresas que assumem a saúde canoense. Tanto para garantir os direitos dos médicos, quanto para evitar a desassistência à população.

Além de participar das reuniões de mediação promovidas pelo TRT da 4ª Região, o sindicato já realizou uma assembleia geral entre os profissionais e foi conferir de perto a situação dos médicos que atuam no Hospital Universitário (HU) e Hospital de Pronto-Socorro (HPS), considerado uma referência em traumatologia para o RS.

 

COMENTÁRIOS